Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O meu cantinho

Semeia um pensamento e colherás um desejo, semeia um desejo e colherás a acção, semeia a acção e colherás um hábito, semeia o hábito e colherás o carácter...queres continuar...

O meu cantinho

Semeia um pensamento e colherás um desejo, semeia um desejo e colherás a acção, semeia a acção e colherás um hábito, semeia o hábito e colherás o carácter...queres continuar...

12.11.18

Bolo de Aniversário TOP!


libel

Este fim de semana tinha um desafio, fazer um bolo de aniversário para o meu sobrinho e mana. O bolo tinha que ser especial. E teria que ir ao encontro do gosto dos dois. Então andei por aí a pesquisar na net.

Partilho convosco porque fui muito feliz nas escolhas que fiz. O bolo ficou delicioso. Todos gostaram e repetiram o que é raro. Caso tenham que fazer algum bolinho de aniversário nestes moldes, não percam mais tempo. Apostem neste e serão bem sucedidos. 

Uma coisa é certa, tinha que ser grande. Tinha que ser simples e rápido de fazer. Tinha que ser com os ingredientes disponíveis em casa. Mãos à obra. 

 

pão de ló.jpg

Depois de ver tanta delícia junta. Aqui nas receitas da Cris, encontrei a base para o meu bolo de aniversário. Um bonito pão de ló saltou-me à vista. É uma base versátil, que todos gostam. E qualquer recheio lhe assenta bem. 

 

Ingredientes: 6 ovos, 2 xícaras açúcar, 1 colher sopa bem cheia essência baunilha, 1 xícara de água morna, 2 xícaras de farinha, 1 colher sopa bem cheia fermento. 

Modo fazer: Bater as claras em castelo bem firmes. Reservar. Colocar as gemas, o açúcar, a essência de baunilha e um pouco da água numa taça e bater durante cerca de 5 minutos, até ficar uma massa homogénea esbranquiçada. Juntar a restante água. Bater mais um pouco. Adicionar metade da farinha e bater em velocidade mais moderada. Colocar restante farinha e bater um pouco. De seguida junta o fermento e envolve as claras em castelo suavemente à mão. Unte uma forma rectangular com manteiga e farinha. Vai ao forno durante cerca de 40 minutos, a 180 graus. 

 

DSC06434.JPG

Próximo passo, o recheio. No cantinho da Marta, encontrei este creme de pasteleiro, muito rápido de fazer. Nem pensei duas vezes. 

 

Ingredientes: 5dl leite, 150g açúcar, 1 casca de limão, 25 g farinha trigo, 25 g farinha maisena, 4 gemas. 

Modo fazer: Ferver 4 dl de leite com metade do açúcar e a casca de limão. Reserve. Numa taça coloque o restante açúcar com as farinhas e envolva o restante leite (1dl) até dissolver. Acrescente as gemas  misturando bem. Verta este preparado sobre o leite fervido, mexa com vara de arames, ao lume, até engrossar. Está feito! 

Está na hora de decorar o bolinho. Depois de arrefecer o creme, parti o bolo em duas partes, e passei o recheio generosamente com faca. 

 

Para cobertura. Bati um pacote de natas com pouco açúcar. Cobri o bolo. E decorei ao gosto dos aniversariantes. Com raspas de chocolate, amêndoas laminadas tostadas e fios de ovos. 

 

E o resultado foi este... 

45977242_286142528692893_2101293027078176768_n.jpg

nhami...;)

vou ali ver se sobrou algum bocadinho...

 

 

 

 

09.11.18

Tô com Fé que vai dar Pé


libel

 

to-com.jpg

Fé é algo que se entranha. Sem ela a vida fica mais difícil. Precisamos acreditar que coisas boas acontecem, que o céu é azul e apenas fica negro quando se veste a rigor para uma cerimónia mais formal. Que o mar faz festas à areia, deixando-a arrepiada, ao que ela responde: deixa-te de ondas. Que o branco é a cor da paz, mesmo que o algodão engane. Acreditar é sonhar acordado, é viver com esperança. Vamos regar o nosso caminho com fé, porque só assim ele vai dar pé! 

 

Bom fim de semana

 

 

 

 

 

08.11.18

Catchupa à moda do Waty Barbosa


libel

 

44313044_741260919566890_307627036870967296_n.jpg

Catchupa d`terra 10a edição 

Eu já provei, não uma, nem duas, mas várias vezes, e não me canso de recomendar. Não sou suspeita, a sério, believe me!

Quem me conhece sabe que, tanto falo dos podres, como dos frescos. Sequer tenciono manipular paladares menos apurados. Mas uma coisa é certa, tenho pena se não provocar um tsunami de sensações gustativas ao ponto de babarem em cima do meu post. LOL. Estou a brincar. Eu sim, quase babo. Na minha primeira vez, a experiência com a Catchupa foi a medo, mas como sempre gostei de experimentar os pratos típicos de cada região, sejam portugueses ou não, o medo deu lugar à curiosidade e ainda bem. Na verdade, todos nós sabemos que a gastronomia local de um país é parte integrante da sua cultura. E temos que nos cultivar. Os pratos típicos e os alimentos regionais caracterizam um povo e o seu quotidiano. Não é à toa, que nos apaixonamos por certos locais. É tão fácil. São novas culturas, outros costumes, que vão de encontro a novos aromas, e outros paladares. Atrevo-me a dizer, que o aroma da Catchupa, desperta o mais adormecido paladar. 

 

waty_tabuleiro.jpgAponta a data, 17 de Novembro 2018. Sente a energia deste convite. Acredita no poder da gastronomia cabo verdiana. Sai da zona de conforto. Junta os amigos e vem viver esta cultura. Delicia-te no jantar com a catchupa rica à moda do Waty Barbosa, os deliciosos pudins e mousse de kamoca para sobremesa, e para digestivo uma frenética Coladeira, a par com os ritmos da Kizomba, Zouk  Funaná e Kola San Jon e Afro House.

 

Ainda estás aí?

 Reserva já o teu lugar, informações aqui

 

Mais história sobre a cultura de Cabo Verde em Portugal, no

histórias de encantar ...ou não